Magaldi
casa da linguiça
sheik
CARMENS TOPO
Polícia Federal

Polícia Federal prende suspeito de produzir e divulgar pornografia infantil na internet

Criança de nove anos que aparecia nas imagens foi resgatada e encaminhada para grupo multidisciplinar de acolhimento e proteção

08/10/2019 13h18Atualizado há 2 semanas
Por: Fabrício Vieira
66
Polícia Federal / Foto: Divulgação
Polícia Federal / Foto: Divulgação

Curitiba/PR - A Polícia Federal cumpriu, na manhã de hoje 03/10, dois mandados de busca e apreensão no âmbito de Inquérito Policial instaurado para apurar a produção, armazenamento e compartilhamento de arquivos de pornografia infantil na internet. Os mandados foram expedidos pela 1ª Unidade de Apoio de Curitiba da Justiça Federal.

As investigações foram iniciadas via cooperação internacional, que apontavam o envio de uma série de imagens de pornografia infantil para a internet, por indivíduo residente no Brasil. No decorrer da apuração constatou-se que o suspeito era residente na cidade de Curitiba/PR e que seria responsável pela produção de parte das imagens de conteúdo pornográfico.

As medidas judiciais permitiram a localização e o resgate de uma criança (9 anos) que aparece nas imagens, que teriam sido produzidas pelo suspeito (31 anos) que foi preso em flagrante delito na posse de grande quantidade de arquivos de pornografia infantil.

A vítima foi encaminhada ao NUCRIA - Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente, da Polícia Civil em Curitiba, para a realização da escuta especializada de criança vítima de crime, diligência esta realizada por equipe multidisciplinar composta por psicólogos e profissionais de saúde.

Durante o cumprimento das ordens judiciais foram apreendidos diversos equipamentos de informática, que serão submetidos à perícia técnica.

O preso foi conduzido à Superintendência Regional do Paraná para a lavratura do auto de prisão em flagrante e se condenado poderá ter penas de até 18 anos de reclusão. Caso seja identificado o envolvimento do autuado no crime de estupro de vulnerável, as penas somadas podem chegar aos 33 anos de reclusão.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.