Magaldi
casa da linguiça
sheik
CARMENS TOPO
Política

Em vídeo, Macron reclama de Bolsonaro e Piñera, aliado do brasileiro, concorda

Chileno considera 'inacreditável' ofensa à primeira-dama francesa; presidente da França diz que queria ser 'correto e construtivo' com Bolsonaro, mas não é possível

09/09/2019 12h52
Por: Fabrício Vieira
39
Presidente da França, Emmanuel Macron rindo durante uma entrevista coletiva no dia 5 de setembr
Presidente da França, Emmanuel Macron rindo durante uma entrevista coletiva no dia 5 de setembr

Um vídeo dos bastidores da última reunião do G7 divulgado no domingo por uma emissora francesa mostra o presidente da França, Emmanuel Macron , criticando o presidente Jair Bolsonaro em uma conversa com o presidente do Chile, Sebastián Piñera , depois de o brasileiro fazer no Facebook um comentário ofensivo à primeira-dama francesa, Brigitte Macron .

O vídeo, compartilhado nesta segunda-feira pelo blog no Uol do jornalista Jamil Chade, é parte de um programa de mais de 25 minutos que foi ao ar no domingo no canal CNews, mostrando os bastidores da reunião de cúpula que aconteceu no final de agosto, em Biarritz. A cena da conversa de Macron com Piñera aparece por volta dos 16 minutos e 4 segundos do vídeo .

A conversa ocorre no segundo dia da cúpula do G7 , logo depois de uma entrevista coletiva de Macron e Piñera, na qual o presidente francês criticou o comentário de Bolsonaro sobre sua mulher, dizendo que ele foi "triste" para os brasileiros, uma "vergonha" para as mulheres brasileiras e "extremamente desrespeitoso" .

No início do vídeo, Piñera, um dos mais fortes aliados de Bolsonaro na América do Sul,  comenta a ofensa do brasileiro chamando-a de "inacreditável".

— Claro, eu tinha de reagir. Você entende? — diz Macron ao presidente chileno, que concorda com a afirmação. — Eu queria ser pacífico. Queria ser correto, construtivo com o cara [Bolsonaro] e respeitar sua soberania. Tudo bem. Mas eu não poderia aceitar isso.

Neste momento, a chanceler Angela Merkel se aproxima dos dois e mostra que concorda com a última frase de Macron: "Não".

Macron, então, continua, lembrando do episódio em julho em que o presidente brasileiro cancelou um encontro com o chanceler francês em Brasília e foi cortar o cabelo , com transmissão ao vivo, no momento em que a reunião deveria acontecer:

— Você sabe o que aconteceu quando meu ministro de Relações Exteriores foi lá? Ele deveria recebê-lo e cancelou no último minuto para ir cortar seu cabelo. E filmou a si mesmo. Desculpe, mas isso não é a atitude de um presidente — disse Macron a Piñera, que, embora o Chile não pertence ao G7, foi convidado pelo francês para o encontro.

Aliado de Bolsonaro

Bolsonaro e Macron se envolveram em uma troca de farpas pública nas últimas semanas, devido à política ambiental do governo brasileiro, da qual o líder francês é um crítico.

Piñera, por sua vez, passou por Brasília para um encontro com Bolsonaro quando retornou da cúpula do G7. Na ocasião, Bolsonaro disse que as declarações de Macron sobre a Amazônia só ganharam força porque o francês é de esquerda enquanto ele é de centro-direita, embora o francês se defina como de centro e defenda um programa liberal para a economia.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.