• Porto Alegre, 24/06/2024
  • A +
  • A -
Publicidade

Prefeito entrega ao presidente documento com demandas prioritárias e pedido de apoio para reconstrução da Capital


Prefeito entrega ao presidente documento com demandas prioritárias e pedido de apoio para reconstrução da Capital Foto: Cesar Lopes / PMPA
Publicidade

O prefeito Sebastião Melo entregou na manhã desta quinta-feira, 6, um documento ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva com pedido de apoio concreto ao governo federal e balanço preliminar dos estragos após as cheias históricas que atingiram Porto Alegre. O ofício entregue ao presidente - em reunião na Base Aérea de Canoas - elucida a situação e elenca as principais demandas e necessidades para a reconstrução do município.

As demandas apresentadas estão divididas em sete eixos de atuação: Habitação Social Transitória e Permanente; Reconstrução de Equipamentos Públicos e Infraestrutura; Recomposição da Projeção de Arrecadação Municipal; Retomada das Atividades do Aeroporto Internacional Salgado Filho; Medidas Emergenciais de Cunho Social e Econômico; Sistemas de Abastecimento de Água, Esgotamento Sanitário e Manejo Águas Pluviais; e Sistema de Proteção Contra Cheias. 

“É um documento preliminar, mas que elenca e enfrenta os principais desafios postos para reconstruir a cidade. A prefeitura trabalha em conjunto com a sociedade e os governos estadual e federal. Com união, foco, força e superação vamos reerguer Porto Alegre” – Prefeito Sebastião Melo.

O ofício reforça ainda que a gravidade da situação exige uma resposta coordenada e unificada, em que a colaboração mútua se torna não apenas desejável, mas absolutamente essencial. "A prefeitura está preparada para fazer a sua parte, mas conclama a cooperação e o comprometimento de todas as esferas governamentais, especialmente da União, para que juntos possamos restaurar a normalidade e assegurar um futuro mais seguro e próspero para a cidade”, diz o texto.

Investimento – As demandas prioritárias para reconstrução de Porto Alegre somam R$ 12,3 bilhões. A prefeitura solicita R$ 6,8 bilhões ao governo federal para recuperação de equipamentos públicos, infraestrutura e sistemas de abastecimento, esgotamento sanitário e manejo de águas pluviais, reconstrução de diques, implantação de novas comportas e adequações viárias e recomposição de perdas de arrecadação. O valor restante de R$ 5,5 bilhões é calculado para investimentos em habitação, tema que está atribuído à União.

Segundo levantamento inicial da prefeitura, 160.210 pessoas foram atingidas pela enchente histórica que devastou quase 30% da cidade e 93.952 domicílios. Hoje, 25.065 famílias vulneráveis estão registradas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal no município.

Publicidade



COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login

Recuperar Senha

Baixe o Nosso Aplicativo!

Tenha todas as novidades na palma da sua mão.