Seja bem-vindo
Porto Alegre,23/02/2024

  • A +
  • A -
Publicidade

Foragido que seria líder de facção na Serra do RS é preso em SC

Suspeito foi capturado na praia de Itapema; advogado nega que ele exerça liderança em facção

Correio do Povo
Foragido que seria líder de facção na Serra do RS é preso em SC Possível líder de facção estava foragido desde 2022, foi preso em Itapema | Foto: Polícia Civil / CP
Publicidade

Um dos foragidos mais procurados pelas forças de segurança na Serra gaúcha foi preso nesta quarta-feira. Apontado como líder de uma facção, ele foi capturado durante uma ação conjunta entre Polícia Civil e Polícia Federal, no município catarinense de Itapema.

Em maio de 2022, o preso havia sido beneficiado com progressão de pena em regime aberto, com o uso de tornozeleira eletrônica. No mesmo ano, em setembro, ele rompeu o dispositivo e fugiu. Ele seria um dos líderes de uma facção criada no bairro Bom Jesus, na zona Leste de Porto Alegre, mas que também criou ramificações na Serra gaúcha.

De acordo com a Polícia Civil, o foragido seria um dos artífices da guerra entre duas facções em Caxias do Sul. O conflito deixou 17 mortos em janeiro, o mês mais violento dos últimos seis anos no município.

Em maio de 2022, o preso havia sido beneficiado com progressão de pena em regime aberto, com o uso de tornozeleira eletrônica. No mesmo ano, em setembro, ele rompeu o dispositivo e fugiu. Ele seria um dos líderes de uma facção criada no bairro Bom Jesus, na zona Leste de Porto Alegre, mas que também criou ramificações na Serra gaúcha.

De acordo com a Polícia Civil, o foragido seria um dos artífices da guerra entre duas facções em Caxias do Sul. O conflito deixou 17 mortos em janeiro, o mês mais violento dos últimos seis anos no município.

A recaptura do preso mobilizou agentes da Delegacia de Homicídios e da Delegacia de Polícia Federal em Caxias. Após os procedimentos legais, ele foi conduzido ao sistema penitenciário do Estado de Santa Catarina, onde permanecerá à disposição da Justiça.

O advogado Andrei Felipe Valandro explica que seu cliente decidiu fugir após o nascimento do filho. “Ele foragiu em decorrência de uma condenação pelo delito de tráfico. Foi determinado que ele voltasse para a prisão e, neste meio tempo, nasceu o filho dele. Por isso ele fugiu”, disse.

Ainda de acordo com o jurista, o capturado não tem envolvimento com a disputa entre facções em Caxias do Sul. Ele também nega que o preso exerça a liderança de uma organização criminosa.

"A Polícia diz que todo mundo é liderança mas, no Brasil, o que seria um ‘líder de facção’? Poderia ser dito que ele era integrante, mas não líder. Fato é que, no sistema penitenciário, os presos são obrigados a pertencer a um grupo”, destacou.

“Também não é verdade que ele estaria envolvido com as mortes em Caxias do Sul. Ele não tem nenhum envolvimento com isso. Os crimes dele tem a ver com roubos, ele nunca mandou matar ninguém e nem teve qualquer participação em homicídios”, enfatizou o advogado.

Guerra do tráfico em Caxias

A Polícia Civil não descarta que a disputa entre facções tenha relação com as mortes de dois líderes do tráfico na Serra. O primeiro deles é Jeferson Neves Montanari, o Fera, de 40 anos.

Fera foi morto com pelo menos dez disparos, no dia 26 de junho de 2023, dentro da própria empresa de guinchos, na BR 116, em Vacaria. Ele era apontado como o maior distribuidor de crack de Caxias do Sul. A quadrilha dele teria vínculos com a facção originária da zona Leste de Porto Alegre.

No mês seguinte à morte de Fera, em julho, ocorreram 12 homicídios em Caxias. A maior parte dos casos foi tratado como retaliação. A vingança perdurou até o final do ano. O município contabilizou nove mortes em dezembro.


Publicidade



COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login

Recuperar Senha

Baixe o Nosso Aplicativo!

Tenha todas as novidades na palma da sua mão.